Juara (MT), 19 de janeiro de 2018 - 04:52

? ºC Juara - MT

Variedades

11/01/2018 17:17 Veja Entretenimento

A história por trás da declaração de amor que parou o Facebook

O texto irreverente em que William Weber Cecconello conta como (e por quê) – pediu Marina Bernardes em casamento – em uma publicação com quase 53 mil compartilhamentos – voltou a bombar no Facebook um ano após sua publicação original.

William e Marina moram em Florianópolis, estão noivos há dois anos e casarão no final de março deste ano. Ao #VirouViral, o psicólogo de 25 anos conta que o texto foi escrito um ano após o pedido de casamento. ”Não tínhamos planos concretos para o casamento quando o escrevi, mas acho que foi um jeito de renovar o pedido”, diz.

Mais que um simples pedido, sua declaração encantou a internet ao descrever, com bom-humor, o que tornava Marina tão especial para ele – desde ter substituído a pedrinha do anel de noivado por sabonete às canções que inventava ao fazer tarefas domésticas.

O casal está junto há sete anos e meio, e o primeiro contato aconteceu quando ainda estudavam no colégio Joaquim Fagundes Reis, em Passo Fundo, município do interior do Rio Grande do Sul. ”Nos conhecemos porque inventei de dançar em uma apresentação do colégio, naquelas em que as turmas elaboram algo para ganhar um ponto na média’’, explica. ‘’Ela me viu dançar e me adicionou no orkut’’, continua. Os dois começaram a namorar, William tinha 17 anos e já havia concluído o ensino médio. Marina, por sua vez, com 16, estava no último ano.

William e Marina estavam juntos há cinco anos e meio quando ele decidiu formalizar o pedido e sabia que sua companheira apreciava pedidos mais elaborados. Então, surgiu a ideia de se criar uma música, uma paródia inspirada em I won’t let you down, da banda norte-americana OK Go. ”Cada padrinho cantaria uma estrofe e, na última, eu a pediria em casamento”, explica. A escolha da música, aliás, foi proposital: o casal é apaixonado pelo clipe e pela letra da canção.

Como diz o texto, o pedido foi feito ao pôr do sol, no sítio da família de William. Mas nem tudo saiu como o combinado. ”Planejei fazer ao pôr do sol, mas todos estavam empolgados jogando bola ou rugby”, diz. Ao perceber que o sol estava se pondo, o rapaz foi tomar banho e pediu para que seus colegas se acomodassem perto da fogueira. Marina continuava jogando rugby. Mesmo assim, todos pegaram os instrumentos, cantaram a música e o pedido foi feito. ”Até hoje ela fica meio brava, porque diz que não estava arrumada pra ocasião”. E conclui com bom humor: ”Meus amigos gravaram, mas nunca quis assistir, porque minha afinação e a beleza do momento estão bem melhores em minha memória”.


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo