Juara (MT), 19 de outubro de 2019 - 03:00

? ºC Juara - MT

Opinião

10/05/2012 00:00

O Pum e o Código: Artigo de autoria do jornalista Alexandre Garcia


A atriz Camila Pitanga, mestre-de-cerimônia no evento carioca que deu o título de doutor honoris causa a Lula, saiu do roteiro para pedir “Veta, Dilma”, o Código Florestal. Não é fácil vetar. O resultado na Câmara dos representantes do povo foi acachapante: 274 votos a 184.

Foi uma derrota do governo e, se vetar, o veto pode ser derrubado numa derrota ainda maior, porque vetar o que expressou tanto a vontade da maioria vai significar um desprezo aos representantes do povo. Além disso, não indo à origem de tudo, será vã a tentativa de proteger a natureza. E a origem é o crescimento da população.

Quando nasci, o Brasil tinha 42 milhões de habitantes e a Amazônia e os rios estavam intactos. Hoje, o que era um brasileiro, virou cinco.

Nos quintuplicamos. Passamos a comer cinco vezes mais, a consumir cinco vezes mais. Tivemos que produzir alimentos para comer e para exportar, para pagar os importados que consumimos. Aí, não teve jeito: plantar mais e criar mais animais. A Embrapa e empresas agrícolas de pesquisa fazem um trabalho de aumento da produtividade, tanto que a área plantada aumentou numa proporção menor que o aumento da produção, assim como aves, gado e peixes tiveram mais tonelagem em menos espaço.

Mas é o crescimento da população que suja os rios, destrói encostas, entope as cidades. Não é o Código Florestal.

Estamos às vésperas da conferência Rio 20. Na medida em que os arautos da catástrofe, como o gorducho Al Gore, vão sendo desmascarados pela verdadeira ciência, para não dar vexame vão atenuando as profecias. Em 2008, a revista Science afirmou que o derretimento das geleiras da Groenlândia iria aumentar em 2 metros o nível dos oceanos. Agora dizem que pode ser 20 centímetros. E o guru do aquecimento global, o britânico James Lovelock, acaba de declarar que exagerou no catastrofismo. Ele disse que considera estranho que a temperatura da Terra não tenha aumentado como ele previa nos livros que viraram best-sellers. E agora, Quem vai compensar o pânico gerado em países-ilhas do Pacífico? Quem mais vai ter humildade para dizer que se enganou com o apocalipse do “aquecimento global”? E o noticiário que fala em aquecimento global como se fosse uma premissa real? Na verdade, o que rege o clima da Terra, em ciclos naturais, é a estrela do nosso sistema, que não é Camila Pitanga, mas o sol.

Depois do apocalipse do CFC fazendo buraco no ozônio, agora a causa do tal efeito estufa é o metano, composto por uma molécula de carbono e quatro de hidrogênio. Estão começando a desistir de nos assustar com o carbono, porque qualquer estudante de curso médio sabe que sem carbono não há vida. A química orgânica é baseada toda no carbono - portanto plantas e animais somos dependentes do carbono. Pois o metano vem do flato, isto é, o pum. Aí volto à tese do crescimento demográfico nocivo: quanto mais gente, mais pum. Quanto mais herbívoros para produzir carne para nos alimentarmos, mais pum. Até uma bela como Camila Pitanga faz pum. Quem sabe se a grande catástrofe que acabou com os dinossauros não foi causada por eles mesmos? Já imaginaram o tamanho do pum daquele gigante herbívoro?


Banner hospital quadrado

Acesse Notícias

Em tempo record o site mais visitado do Vale do Arinos

Copyright 2016 - Todos os direitos reservados.

Redes Sociais

Crie seu novo site AgenSite
versão Normal Versão Normal Painel Administrativo Painel Administrativo